29 de setembro de 2013

Um vazio insistente

Sinto-me triste mas essencialmente um vazio enorme apodera-se de mim como se fosse apenas um pequeno barco que está prestes a não resistir à tempestade, cada vez mais assustadora. É como se estivesse numa roda viva, cuja saída está barrada, como se as noites me trouxessem a inquietação, a agitação, o desejo de estar sozinha mas ao mesmo tempo acompanhada por alguém que me entenda. Mas como me poderão entender se nem eu mesma consigo fazê-lo?
As noites frias e inseguras vão-se derretendo lentamente e o meu coração cada vez está mais cansado, mais desgastado, mais exausto, sozinho e sem saída. Quero gritar, soltar as amarras, perder-me no tempo mas apenas consigo me enterrar mais no vazio e neste silêncio infinito.

11 comentários :

  1. Sente-se dor no que escreves mas apenas tu podes sair dessa mesma dor. Não podes desistir de lutar e acreditar em algo melhor!

    ResponderEliminar
  2. Claro querida. Não é fácil, mas temos de conseguir.

    ResponderEliminar
  3. Força querida *
    r : o melhor mesmo a fazer é não ligar a pessoas que não querem o nosso bem .

    ResponderEliminar
  4. Melhores dias virão e tu não podes desistir de tentar que isso aconteça! Força :)

    ResponderEliminar
  5. Que texto tão triste minha querida. Muita força e se precisares desabafar é só dizeres :) Não desistas!

    ResponderEliminar